Projetos · Web

Post4Fun!, primeiro mês

Há cerca de um mês eu lançava na internet o modesto projeto Post4Fun!.

De início, sabia que ele não iria ter um boost nos acessos. Já deveriam ter projetos semelhantes na Web. Fiz no espírito de querer brincar de fazer algo novo. Usei o velho WordPress como CMS, com um tema pronto e apenas criando um plugin para gerar as imagens e salvá-las como post. A criação de imagens é feita usando a biblioteca Pixi.js.

O site está hospedado no Vultr. Lancei uma VM facilmente, já com ambiente LEMP instalado. A Vultr está até agora garantino uma boa performance por um bom preço ($ 5/mês). Quanto a isso, nada a reclamar – só a elogiar. 🙂

Blog · Projetos

Post4Fun!, um jeito de se criar posts chamativos na internet

Lancei ontem. Ainda está em desenvolvimento, é verdade. Vou adicionar mais recursos. Mas já dá para usar: Post4Fun!

É um jeito diferente de se criar posts para se compartilhar no Facebook ou Twitter, sem limite de caracteres, com fontes e cores diferentes. Também dá para usar para outros propósitos – a imagem de destaque deste post foi feito através da ferramenta. 🙂

Ele é basicamente isso. A ideia é ser simples e um pouco divertido, bem para distrair. Sem grandes pretensões.

Vou dividir este texto em duas seções, uma sobre o projeto (para usuários em geral) e outra sobre o desenvolvimento dele, para os “nerds”.

Portfólio · Projetos

Primeiro post – iniciando 2013

Primeiro post de 2013, vamos lá:

  • Sim, o site Neoludo saiu do ar. Explicando rápido: eu não renovei o domínio porque eu não havia comprado ele através do meu nome, mas de uma empresa. Minha intenção seria adquirir um novo, tipo “neoludogames” ou “neoludostudio”. Mas enfim, o mais importante também é que pretendo remodelar o visual dele, abandonado o formato blog para deixar portfólio, e com design responsivo também.
  • Estou desenvolvendo um novo game, como expliquei no fim de 2012. Estou começando ele como mobile (adaptando a jogabilidade dele), mas vou lançar versões de teste por aqui e em fóruns como o Gamebrain. Em outras palavras, seguir como se deve: testando, iterando, mudando, corrigindo… para chegar a um final bacana.
  • Este ano também comecei um hobby: hardware livre com Arduino.
  • E tenho que ir mais depressa, porque estou devagar.
Dicas & Tutoriais · Game design · Games

Dica de software: OGMO Level Editor, editor de níveis para games

Logo OGMODica da semana: OGMO Level Editor, level editor de código-aberto para Windows. O OGMO pode ser definido como um editor de níveis de propósito geral para games que gera arquivos em XML.

No OGMO você trabalho no esquema de projetos, sendo que para cada projeto você pode criar níveis contendo objetos relacionados a um jogo. É muito fácil de usar, qualquer um se entende com a ferramenta.

É muito fácil trabalhar com o OGMO. E no editor de níveis você adiciona, aumenta/diminui e rotaciona imagens ou pode desenhar os tiles no grid.

Deixei de lado o Inkscape (tentei usá-lo como level editor) por causa de detalhes chatos, estava muito burocrático, e então passei a usar o OGMO. Estou satisfeitíssimo: o XML é fácil de entender, o editor é bem organizado, é gratuito e versátil. Ainda faltam recursos mas já está ótimo para uso.

Recomendo este tutorial (em inglês), mas se quiser ver outros confira na página do projeto.

Se desejarem mais detalhes ou um passo a passo, postem aí nos comentários. Até a próxima 😉

Blog · Games · Projetos

Sobre o “Pollus”, um jogo de ação casual que estou desenvolvendo

Bem, na realidade gostaria de falar sobre o projeto que estou tocando, o jogo de codinome “Pollus”.

Sobre o nome: na realidade esse nome bobo provavelmente será o definitivo, pelo fato de querer um nome que não significasse outra coisa (ou seja, fosse único) e de fácil pronúncia e lembrança por aí. Sei lá, talvez dê na cabeça de lançar uma enquete ou mudar geral, mas vou deixar isso por último…

Enfim, sem delongas, o jogo será casual (ou seja, não será um game AAA suuuuper ferrado de 3D e IA, mas sim daquele gênero de games simplificados e divertidos seguido por equipes pequenas indie, como é o meu caso). Inicialmente será lançado na Web usando a plataforma Flash, e posteriormente para PC e, se não for dispendioso demais, lançá-lo para mobile (iOS e Android). Vou buscar patrocinadores através de portais ou do FGL (mais viável), mas se não rolar irei de Google AdSense (for Games) ou MochiMedia mesmo.