Tecnologia · Web

Essas favelas virtuais chamadas redes sociais

Nas favelas, vemos gangues brigando, disputando territórios. Ou simples bate-bocas para ver quem tem razão. Nas redes sociais também.

De vez em quando ocorrem linchamentos perpetrados por moradores. É sabido que ocorrem justiçamentos feitos com as próprias mãos, onde o Estado não chega. Nas redes sociais, ou através delas, temos linchamentos também.

Sem falar que as donas de casa, desocupadas, matam o tempo conversando com as vizinhas sobre TV e novelas. E nas redes sociais há isso também.

Livros · Web

Blogueiros que se tornaram (bons) escritores

Aconteceu de, recentemente, eu ler dois autores que, apesar das diferenças de temáticas dos seus livros, têm coisas em comum: são autores jovens, jovens, escreveram livros bem escritos e, principalmente, são “bichos” surgidos da internet. Blogueiros, enfim. São eles Ryan Holiday e Mark Manson.

Embora talvez ainda não seja uma constante, é cada vez mais comum autores começarem na internet da mesma maneira que muitos autores de antigamente começavam na grande imprensa, escrevendo crônicas ou artigos. Até porque a internet de hoje é a mídia impressa de ontem.

Abaixo listo alguns autores de livros que são figuras surgidas da internet, que começaram basicamente escrevendo em blogs – seja em blogs de grandes portais ou autônomos. Li os quatro e deixo uma breve descrição e opinião sobre eles. No fim do artigo deixo links de livros dos autores caso haja interesse.

Blog

Saímos da televisão e vamos para a internet falar sobre televisão

O brasileiro é mesmo um povo a ser estudado.

Olhando no Google Trends relativo ao ano de 2017 é possível aferir que o que mais se busca na internet brasileira é… informação sobre televisão. E principalmente aberta.

O Trends é um serviço gratuito do buscador voltado a informar quais são os termos mais buscados na atualidade, entre outros.

Impossível para mim não lembrar de Diogo Mainardi numa de suas colunas: o brasileiro assiste cada vez menos TV e usa mais internet. E qual o assunto da internet? A TV.

Blog · Brasil · Opinião

“E aí??? Você é de direita ou é de esquerda!?” Examinando o mito da “polarização” nas redes sociais

Ontem eu estava assistindo ao Roda Viva com Hélio de la Peña. Eu quase nem ligo mais a TV, mas descobri que iria ter a entrevista durante o comercial e, como fã do grupo Casseta, fiquei para ver a entrevista.

O programa começou com o Augusto Nunes (Veja, Jovem Pan) fazendo uma pergunta sobre como se deu a mudança de carreira de Hélio, que fazia faculdade de engenharia antes de se tornar humorista. Foi uma pergunta interessante.

Depois vieram duas perguntas, uma vinda de uma jornalista do Estadão e outra de um do Valor Econômico. Ambas giraram em torno do mesmo assunto: racismo.

Eu, que não via o pessoal do Casseta & Planeta fazia tempos, fiquei frustrado com o rumo que o programa parecia estar tomando. Parecia que ali não estava um artista com mais de 30 anos de TV, mas um militante de movimento social cujo objetivo dos jornalistas era tentar “espremer” e denunciar o tripé machismo-racismo-homofobia no mundo. Vendo que o programa se tornaria uma grande timeline de Facebook, desliguei a TV.

Brasil · Web

A internet tá chata

Você vai à caça de notícias ou de um blog bacana. E logo pipocam as caixas pedindo para enviar notificações. Não, não e não. Ou então um paywall: assine nosso jornal, só R$ 1,99 por mês, jornalismo de qualidade. Clica no X para fechar.

Quando não, um popup com propaganda de carro. Ou um box de assinatura de newsletter. Coloque o seu e-mail e receba novidades e promoções.

Trocentos banners de propaganda enquanto se rola o texto. É preciso: O AdSense paga pouco. Volume é necessário.