Dicas & Tutoriais · Linux · Software

Turbinando seu Ubuntu Linux: dicas de como melhorar sua experiência com o sistema

Este post vai parecer um tanto contraditório. Mas a verdade é que, devido a um problema recente no meu Windows 10 que estava resultando em superaquecimento (a temperatura da minha CPU passava dos 70º C sem eu fazer nada…) e a consequente reinicialização da máquina, eu tive que dar um tempo e voltar a usar o Linux Mint que já havia no PC.

No entanto, passado tanto tempo usando só Windows eu fiquei incomodado com algumas diferenças. A oferta de programas deixa a desejar, o aspecto gráfico não é tão bom, etc. etc…

Daí dediquei algum tempo tentando melhorar minha experiência no sistema do pinguim nesses pontos. Vou listar aqui alguns links que considero úteis e dicas. Alguns artigos em inglês, outros em português. Os artigos focam a família Debian / Ubuntu / Mint, que são os sistemas mais usados em desktop (e a usada atualmente por este escriba, inclusive). A seguir: Continue reading “Turbinando seu Ubuntu Linux: dicas de como melhorar sua experiência com o sistema”

Dicas & Tutoriais · SEO

Link Building: como ele pode aumentar os acessos ao seu site

Você sabe porque toda vez que você buscar por um determinado termo genérico (ex.: “futebol” ou “Brasil”) um dos primeiros resultados a aparecer é o site da Wikipédia? Link Building!

Isso acontece devido ao fato da Wikipédia ser muito referenciada por outros sites (ou seja, um link para a Wikipédia estar contido em inúmeros sites.) Assim, para o Google a Wikipédia se torna uma boa referência em conteúdo. Temos aí um case de sucesso em link building.

Espalhar links do seu site em outros sites (seja em redes sociais como o reddit e Medium como em blogs de terceiros relacionados ao assunto do seu site) é um bom jeito de informar ao Google que o seu site tem relevância. Funciona assim: quando o Google for “varrer” esses sites ele vai esbarrar com o seu link; assim, essa informação faz com que o seu site “ganhe pontos” (reputação) como fornecedor de conteúdo. É por isso que a Wikipédia, tão largamente citada ao redor do mundo, está sempre nas primeiras posições das buscas. Continue reading “Link Building: como ele pode aumentar os acessos ao seu site”

Dicas & Tutoriais · Game design · Games

Dica de software: OGMO Level Editor, editor de níveis para games

Logo OGMODica da semana: OGMO Level Editor, level editor de código-aberto para Windows. O OGMO pode ser definido como um editor de níveis de propósito geral para games que gera arquivos em XML.

No OGMO você trabalho no esquema de projetos, sendo que para cada projeto você pode criar níveis contendo objetos relacionados a um jogo. É muito fácil de usar, qualquer um se entende com a ferramenta.

É muito fácil trabalhar com o OGMO. E no editor de níveis você adiciona, aumenta/diminui e rotaciona imagens ou pode desenhar os tiles no grid.

Deixei de lado o Inkscape (tentei usá-lo como level editor) por causa de detalhes chatos, estava muito burocrático, e então passei a usar o OGMO. Estou satisfeitíssimo: o XML é fácil de entender, o editor é bem organizado, é gratuito e versátil. Ainda faltam recursos mas já está ótimo para uso.

Recomendo este tutorial (em inglês), mas se quiser ver outros confira na página do projeto.

Se desejarem mais detalhes ou um passo a passo, postem aí nos comentários. Até a próxima 😉

ActionScript · Dicas & Tutoriais

Usando SVG através do ActionScript – AS3 SVG Renderer

É possível carregar arquivos gráficos SVG (formato de arquivos de desenho em vetor, organizados em modo XML) através do ActionScript como se fossem Sprites.

A biblioteca AS3 SVG Renderer suporta boa parte dos recursos oferecidos pela linguagem SVG. Criada por um brasileiro (veja o blog), ela ainda não suporta o carregamento de arquivos de imagem (como JPEG, PNG, etc., um recurso disponível no SVG), o que não chega a atrapalhar em nada (haja vista que é possível carregar Bitmaps usando classes nativas do ActionScript). Muitos outros recursos estão disponíveis (desenhos de formas, linhas, transformações como rotação e inclinação, entre outros).

O uso da biblioteca é muito simples: basta carregar o arquivo como se fosse um XML, usando o package do ActionScript. O programa Adobe Flash torna-se dispensável.

O exemplo a seguir carrega e exibe um SVG carregado a partir de uma URL qualquer. Continue reading “Usando SVG através do ActionScript – AS3 SVG Renderer”

ActionScript · Dicas & Tutoriais

Mais sobre ActionScript 3.0 – programas, bibliotecas e dicas

Para reanimar um pouco este blog vou postar aqui algumas dicas de programas e de bibliotecas para quem programa/quer programar com ActionScript 3.0.

Programas

FlashDevelop – não conheço todas as IDEs para ActionScript, mas acredito que esta seja uma das melhores – senão a melhor. Ela automaticamente importa os packages de classes que você instancia, seu auto-complete é poderosíssimo, além de ser leve e permitir a compilação usando o Flex SDK (para configurar isso veja este tutorial).

Funciona em Windows (não sei se há versão para Mac, e não acredito que rode/possa rodar em Linux, uma vez que ele foi criado sobre o Microsoft .NET Framework – tentei emular e não deu certo).

Ambientes de Desenvolvimento para ActionScript – aqui segue uma lista com outros programas (e seus links) para programar em ActionScript.

Flex SDK – necessário ter caso queira compilar seus programas via FlashDevelop, entre outros. É opensource.

Tutoriais

Wikilivro em português – wikilivro sobre AS 3.0 hospedado no Wikilivros (da Wikipédia).

Tutorial do Mário Santos (em PDF) – parte 1 e parte 2 – talvez os mais populares tutoriais sobre AS 3.0 em português (de Portugal) da Web.

Bibliotecas

Você pode ver uma postagem minha antiga sobre algumas bibliotecas. Há sobre bibliotecas 3D apenas. Aqui vou indicar mais algumas bibliotecas que talvez não sejam tão conhecidas.

AS3ISOlib – biblioteca para geração de gráficos isométricos. A biblioteca é bem fácil de se usar e bem interessante. Ela foi feita para ser usada com o Adobe Flash apenas. Porém, mudando algumas propriedades de umas classes consegui fazer ela ser usada com o FlashDevelop (em outras palavras, mudei os objetos Vector, disponíveis apenas nos Adobe Flash CSx para Array, fácil. 😛 ).

JigLibFlashengine para simulação de física em 3D. Ela é ligada para fazer simulação usando em conjunto a biblioteca Papervision 3D, estritamente – mas há “plugins” para se utilizá-la em conjunto com Away3D, Sandy3D e outras.

O problema dela é esse: você não pode usá-la livremente (sem estar em conjunto com uma biblioteca 3D – você tem que estar atrelado a uma…). Os autores escreveram no blog deles que ainda pretendem mudar a arquitetura da biblioteca a fim de torná-la utilizável por qualquer outro modo – o que é uma boa notícia.

WOW 3D – outra engine de física em 3D. É baseada na APE, uma outra engine porém 2D. Esta aqui usa em conjunto a biblioteca Sandy3D para geração de gráficos 3D, apenas.

Opinião

O lado bom das redes sociais

Lixo na lixeira
Lugar de lixo é na lixeira.

Quando alguém quer depreciar a internet o indivíduo se utiliza, muitas das vezes, das redes sociais como exemplo. Sites como Orkut, Facebook, YouTube – há quem considere-a uma rede social -, e Twitter (sendo este último mais um microblogging do que rede social), um antro de futilidade, de perda de tempo.

Porém, as pessoas sempre pegam mais os lados negativos do que os positivos. Não há dúvidas que há muita bobagem na internet, o que, aliás, lança a questão: o que pode ser considerado fútil? Um blog em que um adolescente fala de sua vida pessoal? Sim, isto pode ser fútil de fato, assim como não ser, uma vez que o ato de escrever treina a criatividade e o raciocínio…

Bancando o advogado de defesa, este meu post pretende mostrar o “lado bom” desses sites chamados de “redes sociais”. A seguir:

  • Orkut/Facebook – além do chamado networking, é possível usar os fóruns (ou comunidades, no caso) para aprendizado e troca de informações. Além disso, existem redes específicas para divulgação de currículo – é o caso do LinkedIn.
  • Flickr – para quem não manja muito (ou não gosta) de blogs este site de fotos é uma boa para quebrar o galho e abrigar portfólio de designers e fotógrafos.
  • Twitter – excelente para divulgação de novidades. Como há o limite de 140 caracteres e é fácil obter uma razoável popularidade, o serviço de microblogging é útil quando queremos compartilhar links de sites e dicas.
  • Blogger/Wordpress – blogs grátis também são uma boa para divulgar novidades e exibir portfólio. É claro que dá para fazer muito mais com alguma criatividade, como gente que, buscando uma vaga de trabalho, lança mão de um blog para mostrar sua personalidade e conhecimento.

Enfim, não dá para ver só o lado obscuro da internet. Os sites estão aí para você fazer uso deles da maneira como você achar melhor. O excesso de inutilidade encontrado é fruto da liberdade que só a Web disponibiliza. É uma questão de se separar o joio do trigo.

Dicas & Tutoriais

Aí vão uns links cromados – navegador Chrome e Chrome OS

Bom pessoal, nos próximos tempos eu não poderei montar uma postagem mais trabalhada para o blog. No entanto, deixo aqui uns links dedicados ao Chrome (o navegador Chrome e o Chrome OS, o sistema operacional do Google que roda na “nuvem”).

Google Chrome (navegador)

  • Chrome 5 dev (versão de desenvolvedor) (link para versão para Windows): esta versão foi liberada pelo Google, mas ainda não é a chamada versão “estável”. No entanto, é muito mais bacana que a versão 4, pois já conta com boas mudanças, como o suporte a add-ons Greasemonkey, que são criados para Firefox, mas agora o Chrome 5 consegue rodar (veja o último tópico). Só uma porcentagem deles funciona, pois foram feitos para o Firefox, mas mesmo assim já é mais um golpe no navegador da raposa. Só clicar em “Instalar” na página e pronto.
  • 15 extensões de Google Chrome para desenvolvimento Web (em inglês): links e comentários a respeito de plugins (para SEO, debug, etc.) para auxiliar no desenvolvimento de sites pelo Chrome.
  • Criando extensões para Chrome (em inglês): tutorial do Google – e parece bem completo – dedicado a ensinar a criar uma extensão para o browser. Basta saber desenvolver em JavaScript, CSS e HTML.
  • Usando extensões do Firefox no Chrome 5 dev: como citado no primeiro tópico, a versão de desenvolvedor suporta scripts Greasemonkey, extensões que servem para dar ainda mais funcionalidades para o navegador. Só alguns rodam em Chrome. Para instalar é só selecionar a extensão e clicar em “Install”. Não é necessário reiniciar o navegador.

Chrome OS (sistema operacional)

  • Experimentando o Chrome OS: postagem do site Superdownloads ensinando a você como experimentar o sistema operacional do Google sem esquentar muito a cabeça, rodando ele através de uma máquina virtual.
Dicas & Tutoriais

Google Chrome com extensões

Ícone - Google Chrome
Ícone do navegador Google Chrome (fonte: Blogs - Diário de Pernambuco)

Não são só os navegadores Mozilla Firefox e o Opera que suportam complementos (ou extensões, ou ainda “plugins”). O Google Chrome passou a suportar complementos com a versão 4. É a versão 4 que suporta extensões (as outras, não).

Muitos complementos ainda não têm a diversidade nem a qualidade das extensões disponíveis para Firefox. Mas nem por isso é possível deixar de experimentar as extensões do Chrome, bem mais leves (assim como o próprio navegador) do que a de seus concorrentes. Continue reading “Google Chrome com extensões”