Blog · Desenvolvimento · Software · Unity

Unity no Linux | Sim, é possível – mas com ressalvas. Uma breve análise

Review: Usando o Unity3D no Linux Mint - primeiras impressões

Há cerca de um mês voltei a usar o Linux Mint, deixando o Windows 10 de lado, depois de um longo tempo. Fui instalando vários programas e atualizações. Como no Windows eu estava usando o Unity3D, eu tinha que voltar ao Windows toda hora para poder usá-lo. Sem nem me tocar que a Unity havia lançado uma versão (beta) da sua engine para distros Linux.

Eterno curioso, baixei a versão para Linux. E comecei a experimentar. E não é que dá para trabalhar nele?

Primeiros problemas

Claro que no início já fiquei ressabiado. Teria que voltar a usar a MonoDevelop em vez do Visual Studio. Quando comecei a estudar a engine, em 2014, ela vinha por padrão, mas logo instalava o VS, muito mais interessante e versátil, e estava tudo certo.

Mas a MonoDevelop, como apontaram usuários em comunidades que acessei, evoluiu bem. De início, instalando o pacote inteiro (Unity + MonoDevelop) eu não consegui rodar a IDE e abrir scripts C# via Unity.  Depois de uma “boa briga” (inclusive para a atualizar a versão da IDE), consegui.

Usando a engine

De início, notei algumas diferenças de usabilidade. O uso do botão do mouse para rotacionar e navegação 3D, por exemplo. Coisas que fazia usando o teclado, só com o mouse… Coisas que de início foram bem irritantes, mas semanas depois usando até que me acostumei (um pouco mais rs)

No entanto, uma das coisas que mais me irritam até agora é o número grande de crashes. Aperte o “pause”, dá crash no programa. Estou lançando elementos 3D no cenário, crash de novo… Não sofria com tantos crashes na versão Windows. Um verdadeiro teste de paciência.

Captura de tela da Unity3D 2017.2.0 no Linux Mint 18.3. Na primeira tentativa (para tirar esse screenshot) o programa deu crash.
Captura de tela da Unity3D 2017.2.0 no Linux Mint 18.3. Na primeira tentativa (para tirar esse screenshot) o programa deu crash.

Depois de muita persistência (e muitos xingamentos…), consegui fazer alguma coisa. Ainda está no início: um game de aventura/3D. Usei umas bibliotecas prontas que havia adquirido no passado (como Third Person Controller), adquiri uns personagens e objetos de cenário em estilo cartoon e voilà, tenho alguma coisa funfando.

LEIA TAMBÉM  O paulistano é maluco das ideias?

Recomenda a Unity3D no Linux?

Bem… estou longe de ser um profissional da área do desenvolvimento de games. Sou itinerante nessa seara. Meu campo principal é Web.

Mas conheço Unity a uso desde 2014, e, embora não tenha publicado algo profissional, já fiz muita coisa para mim, e tenho relativa fluência na engine.

Sobre usar a Unity3D no Linux? Vai de cada um.

É como li, num fórum, sobre um usuário da Unity na Linux: “sou um werewolf (lobisomem) do Linux”. Ele sabe que o sistema do pinguim não é o foco da equipe Unity. Você vai ter que entender que é uma versão de testes, tem limitações.

Gosto de trabalhar no Linux pois me sinto mais focado. Pode ser impressão, mas isso se dá muito pelo fato de não ter as famosas encheções de saco do mundo Windows: pop-ups de antivírus amolando, licenças, atualizações do S.O. vindas do nada, etc. etc.

Depois dos períodos de confusão que descrevi aqui, hoje estou relativamente bem usando-a. Pretendo lançar o game (se dessa vez eu concluir, claro) para HTML5 (WebGL), e a versão Linux já dá suporte. Mas o mais importante, ao meu ver, é estar consciente que você não terá todos os recursos da versão Windows / Mac. É preciso ir com a mente mais “desapegada” para poder usá-lo.


Créditos das imagens:
Icons made by Dave Gandy from www.flaticon.com is licensed by CC 3.0 BY 
Unity Technologies: https://unity3d.com/pt/public-relations/brand

Curtiu? Então aperte o botão:
Tagged: , , , , , , ,