Brasil · Político

Que Brasil o Brasil quer ser?

Essa é a primeira eleição geral depois dos protestos de 2013-2016.

Naquelas manifestações, que reuniram milhões de pessoas, havia um fator unificante: o repúdio da população à corrupção, à má administração e à classe política de uma maneira geral, com raras exceções.

Lembro de ter ido à Avenida Paulista em duas manifestações, em 2015. À despeito desse sentimento de revolta difuso no ar, me chamava a atenção as diferenças entre algumas solicitações dos manifestantes.

Eu me recordo de ter visto cartazes de todos os tipos. Os mais visíveis eram de apoio à Operação Lava-Jato, ao juiz Sérgio Moro e pedidos de impeachment da Dilma. Porém, haviam de outros tons: lembro de pessoas pedindo privatizações, e de outros – um grupo pequeno, diga-se -, pedindo intervenção militar. Cartazes contra o Foro de São Paulo e contra o comunismo também se faziam presentes, ao lado de outros contra ideologia de gênero, “Olavo tem razão”, entre outros. Continue reading “Que Brasil o Brasil quer ser?”

Brasil · Livros

5 livros para entender por que o Brasil está na merda em que está

Sim, o Brasil está na merda total. Não é novidade para ninguém.

Mas, mais do que ficar reclamando, é preciso saber como chegamos até aqui, e como é possível sair desse buraco.

Para isso, como usuário de internet há mais de dez anos, recomendo logo de princípio: esqueça os blogs, as páginas de Facebook e demais redes sociais. No geral, são antros de desinformação e fanatismo. E isso não vai ajudar: precisamos de mais luz e menos calor.

O jeito é ler. E felizmente, de uns anos para cá, surgiu uma nova leva de autores, que pensam fora da caixa – sim, a tradicional caixa, a “Matrix” esquerdista da academia e jornalismo tupiniquins. Aqui nessa postagem vou listar alguns livros que li nos últimos anos, que ajudam a entender os problemas atuais e ver que, apesar de tudo, muitos problemas têm solução. Vamos lá, então:

Continue reading “5 livros para entender por que o Brasil está na merda em que está”

Blog · Brasil

Escravidão voluntária

Boa parte do subdesenvolvimento do Brasil advém da falta de capacidade do brasileiro de vislumbrar alternativas fora do Estado.

Quando o assunto gira em torno do fato do Brasil ser ferrado, vira e mexe alguém já dá a cartada: “ah, o Brasil é atrasado porque nossos políticos são ladrões”. Ou quando ocorre algum problema (ex.: desemprego) a “solução” apresentada é sempre algo do tipo: “ah, o governo tem que fazer alguma coisa”. Continue reading “Escravidão voluntária”

Blog · Brasil · Web

Batendo palmas pra maluco dançar: entre esquerdoidos e bolsominions

Eu já escrevi sobre malucos dos dias de hoje aqui no blog. E havia deixado este post em rascunho. Porém, hoje me deparei com esse texto do Rica Perrone e me senti motivado a ressuscitar este texto. Mas aqui vou tratar de um de outro tipo de doido.

O perfil de maluco que vou tratar aqui é o do political junkie. O viciado em política. O cara que fica o dia inteiro nas redes sociais compartilhando, curtindo e debatendo sobre política – geralmente para reforçar o seu ponto de vista ou então mostrar a hipocrisia e os possíveis erros e fracassos do outro lado. Continue reading “Batendo palmas pra maluco dançar: entre esquerdoidos e bolsominions”

Brasil

A meritocracia na terra do homem cordial

É muito provável que o leitor já tenha se deparado com o termo “meritocracia”. Ele ganhou realce inicialmente pela boca de liberais, e depois por militaristas e também se faz presente em alguma medida no tal “mundo corporativo”. Significaria, em interpretação livre, “poder do mérito”. Ou seja, a sua posição deveria advir do seu esforço individual, e tão somente disto.

A defesa dessa ideia ganhou corpo nos últimos anos, como reação às iniciativas governamentais e de ideólogos de se procurar fazer algum tipo de “engenharia social”, como altas tributações para compensar as tais “desigualdades sociais” e cotas nas universidades, entre outras.

Eu não vou entrar no âmbito político dessa ideia, pois o Fla vs. Flu, apesar de divertido, é pobre. Vou me ater apenas a entender o que poderia ser a meritocracia na Terra brasilis. Continue reading “A meritocracia na terra do homem cordial”

Blog · Brasil · Ensaio · Negócios

O mito do brasileiro ser um povo empreendedor

O brasileiro é um povo empreendedor. Você já deve ter ouvido falar isso alguma vez em algum lugar. Empreendedorismo cresce no Brasil.

Ou lido a respeito. “O Brasil é um dos países que mais abrem empresas no mundo”, ou coisas do tipo.

A bem da verdade é que isso não é verdade. O Brasil não é um país empreendedor. Empreendedor aqui no sentido stricto sensu do termo, de se começar um negócio com uma proposta inovadora, e não simplesmente começar um negócio. Continue reading “O mito do brasileiro ser um povo empreendedor”

Blog · Brasil · Opinião

“E aí??? Você é de direita ou é de esquerda!?” Examinando o mito da “polarização” nas redes sociais

Ontem eu estava assistindo ao Roda Viva com Hélio de la Peña. Eu quase nem ligo mais a TV, mas descobri que iria ter a entrevista durante o comercial e, como fã do grupo Casseta, fiquei para ver a entrevista.

O programa começou com o Augusto Nunes (Veja, Jovem Pan) fazendo uma pergunta sobre como se deu a mudança de carreira de Hélio, que fazia faculdade de engenharia antes de se tornar humorista. Foi uma pergunta interessante.

Depois vieram duas perguntas, uma vinda de uma jornalista do Estadão e outra de um do Valor Econômico. Ambas giraram em torno do mesmo assunto: racismo.

Eu, que não via o pessoal do Casseta & Planeta fazia tempos, fiquei frustrado com o rumo que o programa parecia estar tomando. Parecia que ali não estava um artista com mais de 30 anos de TV, mas um militante de movimento social cujo objetivo dos jornalistas era tentar “espremer” e denunciar o tripé machismo-racismo-homofobia no mundo. Vendo que o programa se tornaria uma grande timeline de Facebook, desliguei a TV.

Continue reading ““E aí??? Você é de direita ou é de esquerda!?” Examinando o mito da “polarização” nas redes sociais”

Blog · Brasil

A ilusão brasileira de se tornar um jogador de futebol rico

Uma das formas consagradas de ascensão social no Brasil, além de ser cantor sertanejo, ex-BBB e “modelo e atriz”, é a de ser jogador de futebol.

Antes um sonho relegado às classes mais baixas, que viam num possível futebolista a chance de sair da pobreza e também não precisar mais trabalhar, tendo o craque como arrimo de família, esse, vamos dizer assim, “sonho” passou também a estar presente nas famílias de classe média, tradicionalmente mais identificadas com um sonho de emprego no mundo corporativo (que traria, junto ao dinheiro, um suposto “status”).

Entendo que essa aceitação da ideia de ter um filho jogador de futebol na classe média se deu a partir do surgimento de nomes como Kaká, vindo de família bem-estabelecida (o pai sendo engenheiro civil) e pelas cifras envolvendo o mundo da bola, cada vez mais crescentes. Ser jogador deixou de ser vista tão-somente como uma profissão para pessoas tidas como desqualificadas, vindas de famílias desestruturadas e que viam na bola um prato de comida. O boleiro virou atleta.

Mas meu ponto aqui não é fazer sociologia de botequim mas sim me ater aos fatos. Quero discorrer um pouco sobre essa ilusão que muitos acham que é fácil se tornar um jogador bem-sucedido, que ganhará milhões de euros e terá vários carros na garagem. Continue reading “A ilusão brasileira de se tornar um jogador de futebol rico”