Apertar Reset

Realmente eu nem tenho atualizado o Twitter, Facebook & cia mais há cerca de um mês. Também percebi que pessoalmente tenho piorado bastante.

Faz muito tempo que não saio de casa, coisas que tenho que fazer (como agendar um dentista ou simplesmente sair por aí) eu procrastino demasiadamente – estou para fazer uma coisa faz quase um ano e ainda não tomei iniciativa. Socialmente então pior ainda, praticamente não tenho conversado mais com ninguém. Profissionalmente, então, vou bambo, mas ao menos não estou totalmente no zero.

Essa semana pretendo começar a virar o jogo ao meu favor. Sem lamuriar mais. Por isso até estou escrevendo, como uma forma de ver a mim como se fosse um espelho. E a imagem não está nada boa.

Eu pretendo continuar  com o blog, o projeto dos games eu pretendo agregar mais pessoas ao projeto e como algo mais secundário.

Estou com uma ideia, mais envolvendo hardware, tenho focado nele bem, estudado bastante e esboçado até um plano de negócio (ainda a completar). É isso, de uma nota de zero a dez diria que estou no 6, nada excelente mas também bem longe do mais próximo do fundo do poço em que cheguei, três anos atrás.

E com fé que ainda postarei boas novas por aqui. Abraços.

 

 

Sobre 2012 e 2013

O que vivi no ano de 2012? Foi um ano com altos e baixos, em que comecei bastante ingênuo e me iludi, achando que seria um ótimo ano.

Eu comecei experimentando lançar um selo de games indie, o estúdio Neoludo, em que até agora só foi lançado um (simples) jogo. O Pollus foi um projeto que comecei errado e pelo jeito terminarei errado. Minha vontade é começar um projeto de game mais adequado para as plataformas que pretendo atingir. Além disso, minha intenção é deixar o estúdio com cara estúdio mesmo: pretendo abrir a ideia para ilustradores, testers, idealistas em geral, entre outros, que querem lançar games e pretendem se juntar, pois faço o trabalho de desenvolvimento. No final do ano, assinei um serviço de cursos em vídeo e revistas de tecnologia e voltei a estudar inglês, sendo que nesta vez estou extremamente disciplinado e amadurecido, pretendendo chegar até o fim e ter proficiência.

Eu até consegui ganhar dinheiro esse ano, voltando a trabalhar ocasionalmente com o pessoal da agência da qual pedi demissão em 2011. Eu sei que é meio contraditório, mas realmente fiquei numa situação difícil, precisando de mais dinheiro (embora tenha feito um “pé de meia” antes de sair). Estou conseguindo balancear as duas coisas (projetos pessoais e freelas), e assim vou indo.

No plano pessoal, eu pretendo fazer uma coisa que adiei por anos e que hoje lamento muito.

Enfim, preciso fazer tudo aquilo que não fiz ou procrastinei: trocar ideias, participar de eventos, ter mais aplicação e planejamento. Repetir-me menos, insistir no que já deu certo e não querer reinventar a roda.

É isso o que aprendi para levar à 2013. Não gosto de fazer promessas de ano-novo e blablablá, mas só sei que terei que perseverar se quiser fazer de 2013 um ano melhor que este. Keep Calm and Carry On.

Rumo a 2013.