Ligo o computador. Não são nem 8h da manhã. Já vou para internet. Pessoal já para sair de casa, e eu fico. Fico na sala, onde tenho internet graças ao recém-comprado roteador wireless. Antes, ficava aqui só escrevendo códigos. Nada de internet. Para isso, precisava ir ao PC velhinho do quarto, que além de tudo era dividido entre os outros da casa. Hoje, tenho internet e computador exclusivos.

Começa o trajeto. Cliente E-mail aberto, MSN, Facebook, Twitter. Dou uma olhada rápida. No e-mail tem spam. Removido. Facebook, nada de novidades interessantes. Twitter idem. Passo o olho nas timelines. Atualizações, Trending Topics, Mentions. Fecho o Tweetdeck.

Login no Reader. Peneirando acho coisas relevantes. Resto, “marcar tudo como lido”. Comento ali, leio outro post ali. Já são quase 9h. E eu nem abri meu projeto que estava fazendo.

Lá vou eu ao Grooveshark. Lembrei de uma música. Ponho fones e ouço. Favorito. Já devem ser uma 9h30. Abri o projeto. Beleza.

Dou uma adicionadas no código. Mexo aqui, ali. Gostei. Dou uma parada e vou ao Twitter. Escrevo algumas coisas, retuíto. Abro o email. Nada de novo. Vejo uma tirinhas nova num blog. Leio os comentários. Já se vão uns 30 minutos. Tempo passando e eu não fazendo o que devia…

E 11h30, saio do computador. É hora de fazer outras coisas. Volto depois de duas horas.

E volto. Vou fazer o que deveria fazer. Mas antes, abrir e-mail, MSN, Twitter, Facebook… E lá se vai mais umas horas nisso e ouvindo música, jogando um gamezinho, conversando no Twitter, e outras coisas.

São 15h da tarde. Estou rachando a cabeça no projeto. Um velho problema que estou penando para resolver e não estou tendo sucesso. Desligo o computador. Vou no quintal pegar um coco.

Na esperança de que, quando voltar ao computador, conseguirei me concentrar no que deveria fazer.

Quando trabalhava em uma empresa conseguia ter foco. Mas mesmo assim penava um pouco perdendo a concentração na internet. Hoje, em casa, sem pressões e prazos apertados, minha concentração se esvaiu. Estou lutando para buscá-la de volta.

A internet é muito legal. Mas desconectar-se dá uma sensação de prazer indiscutível, por ser difícil de obtê-la.