A lama e a fama a diferença é muito mais que uma letra

Eu estava passeando pelo Youtube – atualmente estou com muito tempo livre e não sei o quanto isso é bom ou ruim -, e me deparei com um canal de um jovem, na faixa dos 20 anos, que, além de se expressar usando gírias e ter uma aparência um tanto exótica, tem como proposta topar desafios nos seus vídeos.

Um dos “desafios” consistia em deixar o pé para ter ele atropelado por uma roda de carro em movimento. É isso mesmo: a proposta é ter o pé atropelado por um carro, filmar e jogar no Youtube. Tudo para quê? Ora, para obter milhões de visualizações com o choque da imagem e faturar dinheiro com os anúncios, claro.

(Nessas ocasiões eu fico imaginando se o Tim Berners-Lee, o criador da Web, não se arrependeu da sua invenção.)

Eu não vou postar aqui o link do canal nem o nome do sujeito, para não estimular esse tipo de coisa e também porque meu mote na internet atualmente é não bater palma para ver maluco dançar.

Mas desde que me deparei com o vídeo, fiquei pensativo. Até onde uma pessoa pode chegar só por atenção (e dinheiro)?

A fama como um fim em si mesma

É importante, nessas horas, saber separar fama de notoriedade. Albert Einstein, mais que famoso, foi notório por suas contribuições à ciência, por exemplo; uma ex-BBB ou uma ex-Panicat só é famoso (embora o prefixo “ex” já aponte uma decadência.)

Hoje estamos numa situação inédita na história: com um celular ou computador qualquer um consegue enviar sua mensagem para milhões de pessoas.

Isso tem um lado bom, que é o de poder facilmente informar muitas pessoas facilmente. Mas tem um lado ruim, muito ruim.

Hoje temos uma geração de jovens que, conhecendo a internet antes mesmo da leitura, se deixam seduzir pelo discurso vazio de obter fama pela fama.

E então vemos jovens que já lançaram seus nudes pela rede, seus vídeos no Youtube pagando micos etc. etc. Esquecendo que, na internet, pouca coisa não é passível de ser encontrada. Deixando provas contra si própria.

Lembro de um colega de trabalho, mais jovem do que eu, e que ao procurar seu nome na internet se deparava com uma foto de quando ainda era adolescente, fazendo declaração para a namorada, num fotolog abandonado de dez anos atrás. Inesquecível o susto do sujeito na ocasião…

Por isso, tome cuidado com a internet. Da fama para lama o caminho é muito mais que uma letra.