Usando  o Twitter um dia desses, lembrei de uma matéria na revista Superinteressante de julho que tratava sobre a cobertura dos casos sobre a morte de Michael Jackson e dos protestos no Irã na nova “rede social”. Foi atribuído ao Twitter o papel iniciador de um novo tipo jornalismo, muito melhor que o antigo.

Não sou jornalista (sou publicitário), e nem entendo muito do assunto, mas gostaria de saber a opinião de quem lê o blog sobre isso (acredito que boa parte dos que acessam o blog sejam da área).

Quando a internet surgiu, falaram que mudaria para sempre o jornalismo, pois as notícias agora seriam acessíveis de todo o lugar, gratuitamente. Anos atrás, atibuiam aos blogs, com sua agilidade e possibilidade de comentários, a função de criador do jornalismo do futuro. Agora, temos o Twitter 😛 .

Pois é, até agora, temos o jornalismo do futuro. Isto é, até não inventarem algo novo, que desbanque as mensagens em 140 caracteres. Coisa que é muito simples, pois, pela internet, e a custos baixos, consegue-se um alcance praticamente mundial.

Aí está: jornalismo do futuro. Invente já o seu!