Com o surgimento da versão 5 da linguagem HTML muitas dúvidas sobre certas coisas surgiram no ar. Uma delas é sobre o Adobe Flash. Se as inovações pregadas pela HTML 5 pegarem (o que inclui animações, vídeos, sons, e até 3D), o Flash será considerado obsoleto, ultrapassado.

Há uma discussão muito pontual. A pontualidade faz parte, não tenha dúvida. Sempre que houve internet existiu o Flash? Não. Mas existe o Flash? Sim. O Adobe Flash continuará a existir? Talvez. É uma discussão pontual? É, mas não é. Por quê? Porque é virtual. (Francisco Prado)

Deixando a brincadeira de lado, acho que a decisão de se querer “matar” o Flash muito precipitada. Muito exagerada. O pessoal que odeia o Flash – o que não é pouca gente – alega que o Flash tem bugs demais, é lento, pesado, fechado e ruim de SEO. Nesses aspectos, eles estão cheios de razão. Isso tudo é verdade.

Porém, não adianta bradar aos quatro ventos sobre as vantagens (enormes) do HTML 5 sobre o Flash. A Microsoft – criadora do Internet Explorer, o navegador mais utilizado no mundo – parece não estar nem aí para o padrão. Se a versão 8 (a mais recente) do IE não consegue nem fazer uma boa pontuação no teste Acid3 (o teste que mensura o quanto um navegador é capaz de “renderizar” nos padrões Web – ele só faz 20 pontos, enquanto o Chrome faz a pontuação máxima: 100) imagine esperá-la lançar uma nova versão que tenha tudo de mais moderno. [[ MOMENTO PARA REFLEXÃO ]]

E por que estou falando no IE? Ora, porque para rodarmos animações nele só através do Flash. E não se pode deixar de lado esse navegador, já que é o mais usado no mundo.

Por isso, acredito que para criarmos os nossos joguinhos, os banners e vídeos do Youtube, e todo o restante de aplicativos ricos (as chamadas RIAs) que podem ser criados com ActionScript e Flex, ainda será necessário que se tenha o plugin do Flash instalado na máquina. E o HMTL 5, com toda a sua potência, fica para mais tarde. 🙁

O que acha?