Scribus – impressões a respeito do programa de editoração opensource

Depois de uma postagem dedicada ao Gimp, vou descrever as impressões que tive a respeito de outro software código aberto, porém voltado a editoração eletrônica de documentos e bem menos popular: o Scribus.

Logo Scribus

Podemos dizer que o Scribus é um equivalente gratuito de programas como Adobe Indesign. Experimentei ele hoje, montando uma apostila de algumas páginas, usando fotos e texto. Tudo muito simples.

De início, me pareceu muito simples. Apesar de me bater com vários menus e janelas, para conseguir encontrar os recursos para formatações de imagens e textos, por exemplo, consegui me entender com o negócio. Ele se entende com vários formatos, incluindo SVG, Photoshop, EPS e HTML, e exporta arquivos em PDF, entre outros.

No entanto, percebi alguns bugs. Numa ocasião, o programa fechou sozinho devido a um erro no sistema. Em outra, a janela para seleção de imagem empacava. Mas enfim, nada que destrua a reputação do programa. Afinal, o Corel Draw, muito mais conceituado e pago, também tem seus problemas, como satirizado no funk abaixo, que rodou no Twitter semana passada:

Be Sociable, Share!

3 pensamentos em “Scribus – impressões a respeito do programa de editoração opensource”

  1. @Sérgio – pois é, o Corel era meu programa favorito para edição. Dava de ombros até para as críticas (que ele travava muito). Mas um dia desses fui usá-lo e não quis iniciar (?!). Desinstalei.

    @Marcelo – o Scribus não é nada popular mesmo. Só conheci via Wikipédia. No artigo sobre software livre há uma lista de softs por categoria. A melhor parte do funk é o barulho de travamento do Windows XP!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.